Pesquisa: o trabalho remoto não está acabando — e os executivos sabem disso

Pesquisa: o trabalho remoto não está acabando — e os executivos sabem disso

Muitos CEOs estão se preparando publicamente para mais uma iniciativa de retorno ao cargo. Em particular, porém, os executivos esperam que o trabalho remoto continue crescendo, de acordo com uma nova pesquisa. Isso faz sentido: os funcionários gostam, a tecnologia está melhorando e, pelo menos para o trabalho híbrido, parece não haver perda de produtividade. Apesar das manchetes, os executivos esperam que tanto o trabalho híbrido quanto o totalmente remoto continuem aumentando nos próximos cinco anos.


Trabalho remotocravada durante a pandemia, de cerca de 6% dos dias úteis completos nos EUA para mais de 50% na primavera de 2020. Desde então, tem diminuído constantemente e, desde o início de 2023, oscila em torno de 28%. Muitos executivos acreditam que é hora de voltar ao escritório: Jamie Dimon, CEO do JPMorgan, se declarou umcético do trabalho remoto; Mark Zuckerberg tem declarou que os engenheiros “fazem mais” no escritório; e o diretor de pessoal do Google recentementedisse aos funcionários essa frequência ao escritório seria um fator nas avaliações de desempenho. MesmoLiderança da Zoom quer que os funcionários voltem pessoalmente dois dias por semana.

O único problema? Nem mesmo a gerência sênior espera que esse impulso de retorno ao escritório funcione.

OPesquisa sobre incertezas nos negócios é administrado em conjunto pelo Banco da Reserva Federal de Atlanta, pela Universidade de Chicago e por Stanford. Ele pesquisa executivos seniores em cerca de 500 empresas dos EUA em todos os setores e regiões a cada mês.

A iteração mais recente da pesquisa, realizada em julho de 2023, pergunta:

“Daqui a cinco anos, qual parcela dos funcionários em tempo integral da sua empresa você espera ter em cada categoria [totalmente presencial, híbrida, totalmente remota] em 2028?”

Como ilustra o gráfico abaixo, os executivos esperam que tanto o trabalho totalmente remoto quanto o híbrido continuem crescendo.

Management doesn’t expect a return to pre-pandemic office life. This bar chart shows the results of a survey in which respondents were asked what share of their full-time employees are (or will be) fully in person, hybrid, or fully virtual/remote, in the years 20 18, 20 23, and 2028.Fully in-person, on-site: 91.6 percent in 20 18, 75.7 percent in 20 23, and 72.6 percent in 2028.<br />
Hybrid: 4.1 percent in 20 18, 14.1 percent in 20 23, and 16.3 percent in 2028.<br />
Fully virtual/remote: 4.3 percent in 20 18, 10.2 percent in 20 23, and 11.2 percent in 20 28.Source: Survey of Business Uncertainty.<br />

Veja mais gráficos HBR em Dados e imagens

Eles estão certos em esperar que o trabalho remoto e híbrido aumente, por quatro motivos.

Primeiro, à medida que a tecnologia de trabalho remoto melhora, a proporção de pessoas trabalhando remotamente aumenta. Na década de 1960, os escritórios eram inteiramente baseados em papel e trabalhar em casa era muito inconveniente. Na década de 1980, os computadores pessoais começaram a se tornar mais difundidos e o trabalho remoto ficou mais fácil. Na década de 2000, a Internet e as chamadas de vídeo emergentes tornaram tudo ainda mais fácil. A resposta seguiu a lógica econômica básica: à medida que os “custos” do trabalho remoto diminuíam (menor inconveniência, por exemplo), mais pessoas optaram por fazê-lo. As taxas de trabalho em casa cresceram continuamente ao longo do meio século que antecedeu a pandemia, embora a partir de um ponto de partida muito baixo. E essa tendência continuará: Oa pandemia aumentou significativamente a quantidade de pesquisas e patentes que acontecem em tecnologias que suportam interações remotas.

Em segundo lugar, o trabalho remoto aumentará porquestartups nascidas desde a pandemia têm maior probabilidade de usá-lo. À medida que essas empresas mais jovens crescerem, a parcela de empregos que oferecem trabalho remoto aumentará.

Em terceiro lugar, e talvez o menos óbvio, os EUA estão bem posicionados para o trabalho remoto. Os EUA já têm uma das maiores taxas de trabalho remoto de qualquer país, atrás apenas da Nova Zelândia e do Canadá entre os 34 paísesnós pesquisamos. Isso faz sentido. O trabalho remoto é uma forma de descentralização e autonomia pessoal: dá aos funcionários mais discrição sobre como e quando trabalham. Pesquisadores de gestão sabem há muito tempo que, para que a tomada de decisão descentralizada tenha sucesso, uma empresa deve ser especialmente bem gerenciado. Pesquisas separadas feitas por nossos colegas constatam consistentemente que as empresas dos EUA ter melhores práticas de gerenciamento, em média, do que empresas em outros países. Essas melhores práticas permitem que as empresas dos EUA gerenciem com mais eficiência o trabalho remoto. Também ajuda o fato de os americanos terem residências maiores, o que facilita a criação de um espaço de trabalho dedicado em casa.

Por fim, o trabalho remoto aumentará porque os funcionários gostam. As evidências sugerem que trabalhar em casa é valorizado pelos funcionáriosaproximadamente o mesmo que um aumento salarial de 8%, em média. É uma grande comodidade e ajuda a reduzir a movimentação — em um estudo recente e amplo, em até 35%.

E quanto às preocupações de que o trabalho remoto reduza a produtividade?Pesquisas sugerem que o trabalho totalmente remoto é até 10% menos produtivo do que o trabalho no local, em média. Mas também é muito mais barato, porque reduz as necessidades de espaço e permite a contratação de qualquer lugar. A produtividade no modo híbrido difere entre cargos e pessoas e com as práticas de gerenciamento. Em média, no entanto, o trabalho híbrido parece ter pouco efeito líquido na produtividade e pode aumentá-la. Os arranjos híbridos também economizam nos custos — em tempo e dinheiro — do deslocamento. Se os funcionários realizarem a mesma quantidade de trabalho, independentemente de irem para o escritório dois ou cinco dias por semana,eles estão realmente gastando seu tempo com mais eficiência   no arranjo híbrido.

As empresas e seus líderes devem considerar seriamente os méritos de trabalhar em casa, pelo menos dois dias por semana. O híbrido gerenciado, em que todas as equipes se reúnem no escritório no mesmo dia ou dois por semana, pode muito bem ser o melhor dos dois mundos. Pode ser lucrativo para as empresas, popular entre os funcionários e melhor para o planeta devido amenor consumo de energia.

Embora a extensão futura do trabalho remoto permaneça incerta, há poucas chances de vermos um grande retorno ao escritório. As tecnologias remotas só melhorarão e os funcionários preferirão empresas com políticas mais flexíveis. O maior indício de que a pressão de retorno ao escritório não funcionará, porém, é o fato de que os próprios executivos preveem, de forma privada, que o trabalho remoto continuará aumentando.

 

Related Posts
Leer más
Table of Contents Hide Verificações antes da reuniãoDefina a agenda.Verifique sua tecnologia.Durante a reuniãoMostre seu lado humano.Estabeleça um…
Leer más
Quando comecei minha carreira, eu era apaixonado por ser jornalista. Não me importava em sacrificar madrugadas e fins…